Cresol Central
Notícias Imprimir
 

17.03.2017


Aquecedor solar: amor à natureza e ao bolso

Autor: Arquivo Famílias que instalaram tecnologia em suas propriedades se dizem satisfeitas com o investimento
Famílias que instalaram tecnologia em suas propriedades se dizem satisfeitas com o investimento
Clique nas imagens para ampliá-las
<
Foto 1 de 1
>
 

A Cresol Central SC/RS e Coopertec desenvolvem e apoiam alternativas sustentáveis que visam melhorar o trabalho e a qualidade de vida dos agricultores, proporcionando conforto para as famílias dos associados, economia financeira e sustentabilidade. Neste sentido, há várias experiências desenvolvidas em agroecologia, bioconstrução e energias renováveis, as quais estão focadas na preservação ambiental e na difusão de tecnologias ecologicamente corretas.
Entre as iniciativas e experiências realizadas está a instalação de aquecedor solar, tecnologia que visa reduzir custos nas propriedades, reduzir o consumo de energia elétrica no aquecimento da água do banho e limpeza de ordenhas. Segundo o assessor técnico da Coopertec, Vilceo Sehnem, nestes casos é possível reduzir em torno de 80% da energia consumida no aquecimento de água. Para a instalação de um Sistema alternativo o custo estimado é de R$ 1000,00 a R$1.200,00. O retorno do investimento fica entre um e dois anos.
O associado da Cresol Coronel Freitas, Mauro Nizzola, instalou em sua propriedade há aproximadamente nove meses um aquecedor solar. Ele comenta que está satisfeito com as vantagens do mesmo, pois independente se tem energia elétrica ou não, tem água aquecida. “Além disso, o modelo que foi instalado aqui é econômico e com a economia de energia o aquecedor ‘se paga’”, salienta Nizzola.  “O que me levou a investir no aquecedor solar foi o fato de ser energia natural, renovável, e se houver queda de luz temos água quente da mesma forma. Se tivermos umas duas horas de sol já temos água quente”, conta o associado. A família utiliza a tecnologia para o banheiro e principalmente cozinha, pois não precisa ter uma torneira elétrica para ter água quente. Nizzola ressalta que para a instalação ocorreu uma parceria entre Cresol e Epagri, reduzindo os custos. Além disso, o agricultor não teve custo com mão de obra, pois a mesma foi realizada pelo técnico da Coopertec e através de mutirão.
Outro exemplo de associado que acreditou em tecnologias sustentáveis é Valdir Antônio Finger, da Cresol Seara. Há aproximadamente seis anos a família de seu Antônio instalou aquecedor solar na propriedade e está muito satisfeita. “Não precisa esquentar água para lavar louça, não precisa de energia elétrica para tomar banho. Quando tem sol, a água chega a 60º. Quem sabe aproveitar economiza energia”, garante o associado. Além de utilizar para aquecer a água do banho e para a cozinha, a família de Antônio utiliza aquecedor solar no estábulo, para esquentar a água que lavam a ordenhadeira. “Até no tanque temos água quente no inverno. É muito bom. Tendo uma hora de sol já tem água quente. Dificilmente utilizamos energia elétrica para aquecer água”, salienta Antônio.
Mas além de aquecedor solar, a família de Antônio também investiu em biodigestor. “A minha esposa foi em uma excursão em Anitápolis e viu um biodigestor. Fotografou e veio para casa mostrando, sugerindo que poderíamos fazer isso. Investimos!. Foi o melhor investimento que fizemos. Em um ano e dois meses que instalamos, não compramos mais gás. É tudo produzido em casa”, relata contente seu Antônio, ressaltando também que sempre tiveram o incentivo da Cresol para investir em novas alternativas.
Primeiras experiências
Desde 2008 a Cresol Central e a Coopertec apoiam o uso de aquecedores solares, sendo que os primeiros trabalhos foram inspirados por uma viagem de intercâmbio e visita a Sociedade do Sol (SOSOL), onde foram visualizadas experiências em energias renováveis e diferentes modelos de Aquecedores Solares de Baixo Custo.
A primeira experiência prática foi desenvolvida no interior do município de Seara/SC, com a construção de um aquecedor solar de Baixo custo ASBC concomitantemente a realização de um curso em que participaram diversos agricultores e técnicos ligados a Cresol. Esta atividade propiciou capacitação de mão de obra e construção de aquecedores. Desde então já foram construídas mais de 100 unidades para agricultores familiares e trabalhadores urbanos na área de atuação da Coopertec e Cresol Central.
Segundo Vilceo Sehnem os trabalhos de implantação dos aquecedores sempre foram desenvolvidos utilizando metodologia de educação popular visando a participação efetiva do público e a apropriação da tecnologia.
Com a diminuição de custos de energia existe o retorno financeiro pela implantação.
“Os resultados financeiros são importantes, mas além destes temos a satisfação dos usuários pelo ganho na qualidade de vida, pois usufruir de água aquecida mesmo sem dispor momentânea, ou permanentemente de energia elétrica melhora a qualidade de vida e inclui socialmente as pessoas”, destaca Sehnem.
A energia elétrica é identificada como sendo uma energia "nobre", com extensa gama de aplicações, que jamais deveria ser consumida para simples ações de aquecimento, por mais importante, socialmente encarando, que o seu uso em chuveiros elétricos possa ser. Na Europa, por exemplo, a maioria das casas não utiliza chuveiros e sim sistemas de aquecimento solar, com gás ou outros. No Brasil os chuveiros são muito utilizados por terem um baixo custo de aquisição, mas as famílias não contabilizam que de certa forma pagam uma prestação dos mesmos todos os meses na conta de luz. A utilização de energias de fontes renováveis é uma necessidade para se alcançar a tão falada e necessária sustentabilidade, mas o uso e a economia gerada pela utilização de coletores solares em substituição de energia elétrica para aquecimento de água ainda é desconhecida da maioria da população brasileira, basicamente por dois motivos: o alto valor dos equipamentos disponíveis no mercado, o que dificulta o retorno do investimento; e a falta de políticas públicas de incentivo à produção e implantação destas tecnologias, bem como o reconhecimento legal de tecnologias alternativas de menor custo.
 


____________

Fonte: Assessoria de Imprensa da Cresol Central SC/RS