Ouvidoria 0800-642-4800

30 de Novembro 2018 Cooperação é o que define comunidade de Colônia Bacia que sediou o II Seminário Internacional da Cresol

 O sucesso de um evento não depende somente dos palestrantes de qualidade, dos debates, resultados e números de participantes. Isso é importante, mas depende também da organização e trabalho de muitas pessoas que fazem de tudo para que os detalhes estejam impecáveis, dos chamados “bastidores”. Além de aproximadamente 50 funcionários do Sistema Cresol Central SC/RS, em torno de 80 pessoas da comunidade de Colônia Bacia estiveram envolvidas no II Seminário Internacional do Cooperativismo de Crédito Solidário realizado pela Cresol, de 27 a 29 de novembro, com patrocínio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Segundo o coordenador do Conselho da Comunidade, Luiz Carlos Giordan, todos trabalharam pela comunidade, sem receber valor algum pelos serviços. “É um compromisso com a vida em comum. É um princípio, a doação de um tempo para a comunidade”, salientou seu Luiz. Ele também ressaltou que parte da alimentação foi doada por famílias da comunidade. Algumas pessoas não puderam ajudar durante o seminário devido a trabalho ou outros compromissos, mas fizeram questão de contribuir com alimentos. Foram cucas, pães, pudim, batata doce, bolachas e outras delícias feitas e doadas pelas famílias locais. 
A comunidade de Colônia Bacia, que atualmente conta com aproximadamente 110 famílias, já havia sediado o I Seminário Internacional do Cooperativismo de Crédito Solidário realizado no ano passado. Seu Luiz comentou que quando receberam o convite para mais uma vez receber o seminário, ocorreu uma votação para verificar se havia consenso na comunidade. “E diria que 99% das pessoas concordaram. As pessoas tem um prazer muito grande de estar envolvidas”, destacou.
O coordenador da comunidade que também é cooperado da Cresol destacou a importância do seminário para refletir o caminho que se quer seguir. Isso possibilita que as pessoas decidam juntas. “E para a comunidade, apesar de todo o trabalho que dá, melhora a relação das famílias, pois é preciso cooperação, ajuda mútua. É gratificante ser capaz de atender as pessoas de outros lugares”, reforçou.
Seu Orides José de Cézaro, 72 anos, é uma das pessoas da comunidade que fez questão de ajudar nos dias de evento. “Meus pais foram fundadores da comunidade e eu desde criança sempre participei, gostei de ajudar os outros. Gosto de viver em comunidade, me sinto bem”, destacou. Ele foi escalado para coordenar o estacionamento, mas fez questão de auxiliar as outras equipes no que estavam precisando. “Para mim, minha família e para a comunidade é um orgulho receber um evento destes. Estamos muito felizes”, explanou. “Saiu tudo conforme o esperado e além disso a comunidade ganha pelo conhecimento, pelo aprendizado. É muito gratificante”, avaliou seu Orides. 
 

Fonte: Assessoria de Imprensa da Cresol Central SC/RS

Receba novidades por e-mail