Ouvidoria 0800-642-4800

30 de Junho 2020 Bem Morar: associada relata como conquistou “a nova casa nova”

 

Angelica Bianchi é moradora da Linha Amizade, interior de Nova Itaberaba, e associada da Cresol Chapecó. Ela, o marido Fernando e o filho Taison já possuíam a casa própria, nova, há quatro anos, quando um negócio fez a família replanejar seus projetos.

Fernando gostava de trabalhar com gado, mas o pedaço de terra que a família possuía dava apenas para a casa mesmo, não tinha como ampliar ou como “lidar com o gado”. “Já o meu pai possuía dois alqueires e meio de terra e uma casa bem vélhinha. Ele não conseguia fazer uma casa nova, tinha bastante dificuldade. Então o que aconteceu: um dia naquela história de que queríamos comprar terra e o pai fazer casa, o meu marido e o pai resolveram briquear. O pai falou: porque vocês não ficam com a terra que eu tenho e vocês me dão a casa que vocês têm?”, conta Angélica. “Só que pra mim no começo foi muito difícil, porque eu tinha a minha casa que eu tinha sonhado tanto, já tínhamos o nosso filho, então, a gente já tava colocado. No começo eu não queria”, lembra a associada.

Porém, diante do desejo do marido de fazer o negócio, Angélica concordou. “Acabei voltando para a casa que me criei e o pai foi pra nossa casa nova. Fomos trabalhando, guardando dinheiro, arrumamos tudo o que tinha para arrumar na terra e faltava fazer a casa. Estávamos na casa bem apertadinha que era do pai e isso me incomodava muito porque eu já estava acostumada na minha casa, colocada, não era a mesma coisa”, salienta.

Angélica explica que moraram três anos na casa que pertencia a seu pai, foram guardando dinheiro e iniciaram a construção da casa nova. “Quando começamos a construção é aquela coisa: achamos que vamos gastar 100 e gastamos 150. Então procuramos a Cresol pra poder nos ajudar. Tiramos R$ 25 mil pra poder terminar a nossa casa. Com esse financiamento foi possível finalizar a casa nova”, comenta Angélica.

Eles acessaram a linha de crédito Bem Morar, uma linha da Cresol que possibilita construir, ampliar, reformar, adquirir casa ou apartamento ou até mesmo comprar terrenos ou áreas de terras. Para a associada, ter uma casa nova novamente significou muita alegria. “O sonho de qualquer pessoa é ter a sua casa. Ter suas coisas organizadas e poder viver bem com a família”, destaca. Ela ainda concilia o trabalho na propriedade com os estudos. Estuda Técnica em Enfermagem e os planos é de que quando se formar irá trabalhar nesta área e o marido vai tocar o que a família tem hoje, já que é o que Frnando sempre gostou de fazer.

No final da história Angélica está de casa nova e seu pai também.

Fonte: Assessoria de Imprensa da Cresol Central SC/RS

Receba novidades por e-mail